“Não Olhe para Cima” é um dos últimos lançamentos da marca Netflix. Lançado em dezembro de 2021, o filme é um fenômeno de visualizações, batendo o recorde semanal da plataforma de streaming e acumulando 152 milhões de horas de exibição na primeira semana.

Para a empresa de streaming, emplacar estreias que se espalham rapidamente e inundam as redes sociais com críticas e opiniões tem se tornado um hábito.

Com direção de Adam Mckay (Responsável por ótimos filmes como “A Grande Aposta” e “Vice”) e com presenças de Leonardo DiCaprio, Jennifer Lawrence e Meryl Streep, o filme tem várias camadas e, dentro da sua trama, podemos discutir muitos temas.

Mas, do que se trata este filme afinal? 

>>>>>>>Spoiler Alert<<<<<<<

A história acompanha dois astrônomos que, em um dia de trabalho, se deparam com uma apocalíptica descoberta: um gigantesco cometa está em rota de colisão com a Terra e, assim como aconteceu com os dinossauros, o impacto irá resultar numa catástrofe que causará a extinção da raça humana.

Você deve estar achando essa trama bem parecida com a de “Armageddon”, clássico dos anos 90 estrelado por Bruce Willis – e é meio parecida mesmo. Porém, atualizando a trama para os dias de hoje, o cenário com o qual nos deparamos é bem diferente.

Se em “Armageddon” a população e as autoridades foram facilmente comunicadas e convencidas a combater o cometa, em “Não Olhe para Cima” o mesmo não acontece.

Diferentemente do que se pode pensar ao ler a sinopse do filme, o grande vilão não é o cometa. O verdadeiro inimigo que os astrônomos precisam enfrentar é a economia de atenção.

Em meio a tantas telas, noticiários, redes sociais, breaking news e reviravoltas nas vidas das celebridades, está cada vez mais concorrido captar a atenção das pessoas.

Dentro desse contexto, o filme acompanha a jornada midiática dos astrônomos para comunicar ao mundo o iminente problema; os cientistas têm muito conhecimento técnico sobre sua atividade, porém, na hora de divulgar sua descoberta, carecem de habilidades de comunicação, o que acaba fazendo sua mensagem ser amassada em meio a tanta informação.

De forma satírica, o filme ilustra como está cada vez mais difícil projetar mensagens ao público, inclusive quando o objetivo é dizer que estamos à beira do fim do mundo e que precisamos fazer algo urgente para evitar a extinção.

“Não Olhe para Cima” nos faz refletir sobre um filtro de conteúdo. Assim como cuidamos dos alimentos que estão em nosso prato, se são saudáveis e nutritivos, devemos também cuidar da qualidade da informação que estamos consumindo.

Separar o sinal do ruído.

Vivendo em meio a uma overdose de informação, o grande desafio das marcas é entregar (e provar) ao público mensagens reais e relevantes que sejam capazes de prevalecer nessa forte concorrência pela atenção.

Desculpem. Nós não fomos claros? Estamos tentando dizer que o planeta todo vai ser destruído.

Kate Dibiasky

 

O que sua comunicação fala deve refletir os valores do seu negócio e, se mesmo assim, você sentir que não está sendo ouvido, conte com a gente. Somos especialistas em divulgar mensagens.

 

Matheus Sesterhenn

Planejamento

Mais sobre a SPR

TRABALHOS

CLIENTES

PRODUTOS

PALESTRAS

BLOG